sábado, 5 de março de 2016

Love yourself

Mudei por mim. Por não gostar de mim, por não gostar do que via. Por já não ser feliz. Porra, ninguém aceita nem acredita nisto!

“Tiveste um desgosto de amor e decidiste mostrar-lhe o que perdeu?”; “Estás apaixonada e ele não gosta de ti por seres gorda?” e mais umas quantas pérolas idênticas.

Hoje dei por mim a pensar nestas perguntas e o quanto isto me irritava e irrita! Porque raio eu não podia, ou não pude, ter a força e determinação de mudar sozinha, por mim e para mim. Quero lá saber se agora me vão achar mais gira, quero lá saber se antes não achavam.

Por falar tanto do quanto o bullyng me afetou há quem possa pensar que ligo demasiado ao que os outros pensam, mas não, não é isso. Eu sou quem sou, saio como quero e com quem quero. Já sai de leggins e toda entrouxada como já sai toda arranjada, só porque me apeteceu, porque naquele dia, àquela hora, é o que me apetece. Não me preocupo com o que possam pensar (claro que há que ter sempre alguma noção do ridículo…) mas a questão do bullyng não era por pensarem mal de mim, mas sim por SÓ pensarem mal de mim por ser gorda, por uns números que estavam a mais…

Mas admito que há muita gente a mudar pelos outros e eu não censuro. Não só não censuro como chego quase a concordar. O importante é mudar e quando mudamos passamos a gostar de nós, por isso se a motivação vier do exterior e não do interior, desde que quem muda se sinta feliz, porque não?


Mudem ou não mudem, mas sejamos todos felizes, o mais que conseguirmos.  


1 comentário:

  1. E quem fala assim não é gago! As pessoas têm sempre que achar que tem que haver algum motivo muito forte quando mudanças drásticas ocorrem nas nossas vidas, às vezes esquecem-se que o mais importante é sentirmo-nos bem connosco mesmo e isso é já um motivo enorme.

    Beijos minha linda! ❤

    ResponderEliminar