segunda-feira, 28 de março de 2016

Diferente por fora, igual por dentro

Com a perda de peso aprendi muitas coisas entre elas está uma que eu dispensava aprender. Dei de caras, aliás, mostraram-me, sem se aperceberem, da verdadeira essência dos rapazes.

Sim, isto hoje é sobre rapazes, porque mulher que é mulher, escreve sobre rapazes! Desculpem lá rapazes, mas vocês merecem!

Sempre fui uma rapariga que me dei bem com rapazes, tenho muitos amigos rapazes que são verdadeiros amigos mesmo na onda da amizade, daqueles com quem nunca tive nem hei de ter nada para além da amizade. E à parte destes, sempre me relacionei bem com rapazes, aqueles que são amigos mas não tão próximos. E é sobre estes rapazes “amigos” que vos escrevo hoje.

São colegas de secundário com quem eu sempre tive uma boa relação de amizade, mas que nem eles mostraram interesse por mim nem eu por eles, amigos mesmo sem segundas intenções. E foram estes rapazes que me desiludiram há pouco tempo, porque começaram a ter um interesse por mim que antes nunca tinham mostrado. E isto deixou-me a pensar e acabei por chegar à conclusão que o nível de “amizade” deles se prende pelo nosso corpo.

Conhecemo-nos há uns 7 anos, sempre fui e continuo a ser a mesma intelectualmente, com as mesmas ideologias, assuntos e tudo mais. Quando acabou o secundário foi cada um para seu lado e como a amizade nunca foi das mais fortes houve um afastamento natural. Por isso, a nossa relação hoje em dia não passava de um “olá tudo bem? Há quanto tempo! Que é feito de ti?” e agora? Agora noto que há mais interesse da parte deles em prolongar esta conversa que é a conversa que temos tido de há 4/5 anos para cá.

Ao inicio pensei que seria coincidência o facto de estar mais magra com o interesse deles e não liguei, mas depois a conversa deles começou a ser “estás tão diferente, parabéns! Estás muito melhor, nunca imaginei ver-te assim!” e eu agradeço imenso e claro gosto que me digam isto. Mas rapazes, não todas as noites quando me vêem e quando começam a haver tentativas de marcas cafés e tal. Estranho não?

Rapazes lamento informar-vos que como é lógico não ligo nenhuma a essa vossa conversa, nunca irei a um café e muito menos terei interesse numa pessoa que me mostra apenas interesse num corpo, porque a cabeça e o meu interior continuam o mesmo. A conversa que podemos ter agora num café pode ser a mesma que teríamos há 5 anos atrás e se há 5 anos nunca vos interessou um café, agora já interessa?


Ver que amigos querem ser “mais nossos amigos” porque tenho menos peso, porque estou com um corpo mais atraente é uma coisa que me deixa um bocado triste, porque porra pá, percebam que só mudou o corpo, a minha essência é exactamente a mesma e vai continuar a ser se eu recuperar outra vez os 16 kg (esperemos que não!).

Sem comentários:

Enviar um comentário