quinta-feira, 21 de janeiro de 2016

A dieta

Há dias encontrei esta noticia  e lembrei-me de que ainda não vos tinha falado da minha dieta. Como já disse aqui, pesquiso imenso sobre dietas e vida saudável e a cada coisa que leio percebo que este tema é mesmo "cada cabeça sua sentença". 
Dieta sem hidratos faz mal, dieta com hidratos não tem resultados, sim ao dia da asneira, não ao dia da asneira e entre estes exemplos, muitos outros existem.
Posto isto, vamos lá à minha dieta. Fui ao nutricionista, onde já tinha ido quando era mais nova e onde obtive bons resultados. E a minha dieta consistia no quê? Ora era uma dieta normal: carnes brancas, peixe, legumes, sopa sem batata, fruta, um bom pequeno almoço, lanches e 1,5L de água por dia. O que é que falta aqui? Sim, eu fiz uma dieta sem hidratos de carbono (quando digo hidratos refiro-me a batata, massas e arroz). Se resultou? Sim e muito bem até. Mas é importante referir que eu durante a perda de peso fui uma preguiçosa e não mexi o rabo, não fiz exercício nenhum. Só me lembrei disso quando já me faltavam apenas 3 ou 4 kg para o peso que tenho agora. 
Fiz análises e a saúde está boa e recomenda-se. Por isso, não concordo quando dizem que uma dieta sem hidratos faz mal à saúde. 
Quando comecei a fazer exercício comecei a comer hidratos de carbono, primeiro só nos dias em que tinha treinos mais intensos (comecei a ingeri-los aos poucos por opção própria, uma vez que tive 1 ano e meio sem os consumir achei por bem consumi-los com calma e em pequenas doses para o corpo se habituar novamente aos hidratos de carbono). Agora consumo-os ao pequeno almoço (pão integral ou cereais) e ao lanche se for treinar antes de jantar. Se comer ao almoço já não como ao lanche, mesmo que vá fazer exercício. 
Um problema também associado às dietas sem hidratos de carbono é que quando os voltamos a ingerir, engordamos. Eu li muito sobre isto, porque foi realmente um dos meus maiores medos. Mas por enquanto (já lá vai quase 1 ano) está a correr bem. Tenho atenção a quando os como e se vou treinar ou não para controlar as doses. A verdade é que vivo bem sem eles, até porque nunca gostei muito de batatas nem de massa. Senti falta do pão e dos cereais ao pequeno almoço, porque me enjoava de comer sempre a mesma coisa, mas isso já é um problema ultrapassado.
Isto para dizer que, uma vez que a minha experiência correu bem, eu sou a favor das dietas sem hidratos de carbono. Comigo resultou, não me senti mal, não engordei quando os voltei a consumir. Só acho que tem uma pequena desvantagem: no meu caso, enquanto estava na dieta comer hidratos de carbono era "uma asneira", por isso, quando voltei a introduzi-los na minha alimentação, sempre que os comia pensava "ai estou a comer arroz, agora tenho de ir treinar". Isto nunca foi uma obsessão mas a verdade é que sempre que estou a comer hidratos tenho a sensação de peso na consciência, por estar a comer lago que não devia. Quando agora já posso e devo!
Mais alguém fez uma dieta sem hidratos de carbono? Há alguém 100% contra?

Pensamentos (muito) complexos #5

Quando começas a ir a nutricionistas e percebes que a maior parte deles sofrem de excesso de peso.

(Faz o que eu digo, não faças o que eu faço, sempre me disse a minha querida mãezinha)

quinta-feira, 14 de janeiro de 2016

Pensamentos (muito) complexos #4

Quando perdes 16kg e mesmo assim sempre que vais às compras levas os tamanhos que vestias antigamente e olhas para eles a achar que não te servem ou não te vão cair bem. 

(Acabo sempre a deixar lá a roupa vou experimentar os tamanhos a baixo, não desgosto de ver mas às vezes não compro porque penso "estou a ver mal, o S não me pode ficar bem..." e fico sem nada. Nem L nem S)

quarta-feira, 13 de janeiro de 2016

As "nutricionistas" e as outras...

Quando estás em dieta descobres que existem 2 tipos de pessoas (ou mulheres):

1 - As nutricionistas:

Deixou-me incrédula perceber que a maior parte das pessoas ao meu redor ou outras com quem falei ocasionalmente e em que se puxou o assunto de dieta/alimentação saudável é nutricionista. É verdade! Isto deve ser tipo um dom que elas têm. Têm lá os seus estudos e a sua profissão e depois à parte disso têm o dom da nutrição. E são extremamente orgulhosas dele e por isso fazem questão de te debitar todo um manual de nutrição que elas adoravam ter escrito. 
Isto é a sério, levei secas terríveis destas pseudo nutricionistas que fizeram questão de que dizer o que comer, quando e como. Porque claro, a dieta delas é que é boa, elas é que sabem e a delas é que resulta muita bem. Dietas capazes de fazer com que percamos 30kg em 3 horas. 
O mais engraçado disto tudo é que 40% destas "nutricionistas" tinham excesso de peso. Ironias da vida!

2 - As que pensam que és nutricionista:

Minhas amigas se vocês acham que as pseudo nutricionistas são melgas e prega secas não sabem o que é este segundo grupo. É o cumulo! Vamos ao café com amigas que não vês há algum tempo e elas dizem que estás mais magra e tu ficas super feliz e agradeces mas já sabes o que vem a seguir. O pânico, o terror, o pesadelo... "Qual foi a tua dieta? É que engordei 300gr e agora quero perder 3kg para o verão. Vais ajudar-me?" Ao inicio eu respondia com todo o gosto e até gostava porque as pessoas mostravam interesse numa coisa que era importante para mim. Mas depois percebi que o interesse não era esse, o interesse era em proveito próprio e propus-me a "ajudar" umas quantas. Adivinhem só quantas delas perderam 1gr?? NENHUMA 'tá claro! É só para fazer conversa e fazem-te debitar a dieta toda, estás horas a falar sobre aquilo para nada quando elas nem o simples passo de beber iogurtes magros em vez dos meio gordo fazem...
Claro que não queres ser arrogante e por isso respondes sempre às 1000 perguntas e contas repetidamente o que fizeste e que contigo resultou mas que com elas pode não resultar e blá blá blá quando tu sabes que elas não vão fazer nada, mas às vezes tinha esperança de as motivar mas nunca tive sucesso...
Agora para o fim quando já estou mais que farta desta conversa respondo sempre "eu estou constantemente a pesquisar e a ler coisas sobre dieta e alimentação saudável, por isso posso beber este café descansada sem pensar nisso 1 segundo? Obrigado". 
Eu acabei agora a licenciatura mas não foi em nutrição... 

Habemus ossos!

Quando estamos em dieta há algum tempo temos uma fase mais ou menos de desespero (pelo menos eu tive). Era todas as semanas ver que os números da balança desciam mas eu não notava diferenças no meu corpo e já tinha perdido uns belos quilos e estava em "abstinência" de certas coisas há tempo suficiente para começar a querer comer uns chocolates e tal de vez em quando. E a motivação para não o fazer? Estava a emagrecer e não via resultados fisicamente, só na balança. Até que...
Até que comecei a ver-me ao espelho mais atentamente, a tentar não fugir dele e a aceitar o meu reflexo e qual não é o meu espanto quando... quando...quando eu descubro ossos nunca antes visíveis no meu corpinho! É verdade meninas! Parece que o meu corpo percebeu o meu desespero e pensou "bem deixa lá mostrar-lhe que estou a ficar diferente senão ela desisti disto e atafulha-me em chocolates e coisas más outra vez...". 
A descoberta dos ossos foi uma coisa que me marcou imenso durante a perda de peso, por ter sido o primeiro sinal de que realmente estava mais magra, por desde sempre achar que dava graça a uma rapariga ter alguns ossos salientes. Calmaaaa nada de exageros, mas sempre achei giro os ossos da clavícula um pouco saídos, as mãos magrinhas. Coisas que eu nunca tive e agora tenho. YEAAAH! 
Nem das minhas mãos eu gostava (e ainda não gosto muito, são pequeninas e gordinhas, mas agora estão mais magras e já se vê os ossos), não gostava de ver que havia rapazes com o pulso mais fino que o meu e tinha um papo no pescoço que tapava qualquer vestígio de ossos. 
Hoje se há coisa que "tento mostrar" são as minhas clavículas salientes e aprecio os meus pulsos como se fossem a parte mais bonita do meu corpo. Sinto-me magra quando os vejo e isso é raro de me acontecer :D
Mas há sempre um senão em todas as histórias e o meu senão são as costelas. Tenho a caixa torácica muito saída e então deitada fico com as costelas todas à mostra o que faz com que pareça demasiado magra nessa zona. Acho que não fica esteticamente bonito mas pronto não se pode ter tudo e antes isso do que nem as sentir.
Desfrutem destas pequenas conquistas como se fossem a melhor coisa do mundo e vão ver que aos poucos se vão sentir melhor com vocês mesmas e vão mostrando ao cérebro que estão realmente mais magras. 

(Isto para quem nunca teve excesso de peso deve parecer uma coisa fútil e completamente irrelevante, mas nós ex-gordinhas, sabemos que não é).

segunda-feira, 4 de janeiro de 2016

2016

Para 2016 só peço para que se não puder ser melhor que 2015, que seja igual. 
Sinto que estou na altura perfeita para lutar pela minha felicidade, para fazer pequenas coisas que me deixam felizes e é por elas que vou lutar. 
Se tudo correr bem, será também o ano em que vou emigrar, um plano que tenho há alguns anos e tenho a certeza que será este ano.
Quanto à dieta desejo que tudo se mantenha assim, apesar de precisar urgentemente de tonificar este corpo e gostava de correr uma meia maratona, Mas tenho sido preguiçosa nos treinos... Aqui está uma coisa a mudar em 2016!
Há anos que luto pelo auge da felicidade. Em 2015 dei grandes avanços e sinto-me mais feliz e confiante do que nunca. 
Em 2016 esta luta vai continuar... Estão comigo?

BOM ANO E LUTEM POR VOCÊS!

Em 2015...

Cheguei aos 60kg.
Voltei ao yoga.
Experimentei zumba e gostei.
Entrei para o ginásio.
Deixei o yoga.
Fiz a queima das fitas.
Voltei ao meu trabalho de verão.
Vesti uma blusa XS.
Apaixonei-me.
Fui estagiar.
Licenciei-me.
Fui a Cascais.
Deixei o ginásio.
Deixei a cidade que me acolheu durante 4 anos.
Cheguei ao peso que queria.
Comecei a correr.
Apaixonei-me pela vida saudável.
Comecei o blog.
Desapaixonei-me.
Vesti um 38.
Conheci pessoas novas.
Procurei emprego.
Fui a entrevista de trabalho.
Senti-me orgulhosa de mim própria.
Tomei a decisão de emigrar. 
Pesquisei países para ir viver.
Mudei. 
Foi o meu ano de mudança.
Fui feliz. Mais feliz do que nunca. 

Pensamentos (muito) complexos #3

Percebes que mudaste mesmo quando a tua família e amigos não te oferece uma única caixa de chocolates e a prenda que mais querias era um livro de receitas saudáveis. 


(Aconselho o livro a quem está a entrar no mundo saudável e a quem já está nele há algum tempo, porque as receitas são super simples e adaptam-se quer a quem está de dieta, quer a quem apenas como saudável. Até para vegan e vegetarianos o livro se adequa)

OBRIGADO PAPÁS :D 

5 anos

Estive a fazer contas e há sensivelmente 5 anos que não me via ao espelho. Quer dizer eu via, mas era só do pescoço para cima e o que via já era suficientemente mau. 
Foram 5 anos a não gostar de algo que nem eu conhecia, quando me via ao espelho sentia nojo e tristeza, por ter chegado àquele ponto. 
Lembro-me de quando me vi novamente nua, foi no verão passado e eu própria fiquei chocada. O meu corpo tinha mudado radicalmente, tinha barriga lisa e a anca já não saía para fora como eu me lembrava. 
Ver-me novamente ao espelho ajudou-me a perceber que realmente o meu corpo tinha mudado e que eu estava de facto mais magra. Se me vi magra? Não, mas isso ainda hoje, passado um ano, não vejo.
Hoje já me vejo ao espelho sem grandes problemas, claro que há dias em que olho e entro em pânico porque penso que engordei, mas depois a minha mãe mostra-me que isto são tudo filmes e que está tudo na mesma. (A minha mãe tem uma paciência de santa)
A minha luta contra o espelho tem sido ver-me, com olhos de ver, e tentar lembrar-me do que antes estava a mais e aí percebo que embora não tenha o corpo perfeito, nem de sonho, já está melhor do que era e isso é coisa para me deixar radiante.
Não tenham medo, no fundo se pensarmos positivo, o espelho pode ser nosso amigo e até um aliado na luta contra os quilos a mais.